Blog da

absenteísmo nas empresas

Como conscientizar seus colaboradores sobre segurança do trabalho

Uma vez que cada profissão reúne riscos, é importante que em cada setor, medidas de segurança do trabalho sejam incorporadas. Nesse contexto, há diversas leis e normas ao se tratar desse assunto, que são estabelecidas em prol da amenização de doenças e acidentes.

Desta forma, a saúde e integridade física do colaborador são protegidas, logo, problemas envolvendo sua capacidade de trabalho são evitados, o que é de grande vantagem para as empresas, além de assegurar que as normas vigentes sejam atendidas adequadamente.

De certa maneira, a segurança tem impacto em diversos fatores, inclusive na produtividade da empresa, pois evita que o fluxo de trabalho seja interrompido por condições inadequadas para a atuação e até mesmo tragédias. Sendo assim, pode-se dizer que tais medidas são importantes tanto para os colaboradores quanto para os empregadores, com significado que vai além da legislação.

Como incorporar uma política de segurança no trabalho?

Independentemente do tamanho da empresa e do fator econômico, é necessário que as medidas essenciais sejam devidamente adotadas, tanto para proporcionar condições justas para os profissionais quanto para atender a legislação compatível com a área. É uma forma de transmitir o compromisso que o empreendedor tem com o bem estar e com a segurança dos colaboradores.

Para que seja possível conscientizar os trabalhadores, dependendo do setor, é possível realizar treinamentos específicos ou promover o engajamento através de abordagens diferenciadas, como palestras que apresentem temas como os seguintes:

  • Conhecimento de fatores de risco;
  • Uso de equipamentos de proteção;
  • Estratégias de motivação;
  • Direitos e deveres.

É de grande importância que exista, por parte do empregador, uma fiscalização adequada ou a terceirização de profissionais devidamente preparados para realizar o gerenciamento das normas de segurança. A organização para levar o conhecimento para os diversos setores da empresa de maneira adequada, inclusive por meio de serviços terceirizados, deve ser priorizada para evitar transtornos.

A comunicação efetiva é significativa para cada etapa que envolve a conscientização e é preciso que cada aspecto seja transmitido e empregado de forma clara. Mesmo porque, um cronograma estratégico de palestras e treinamentos pode contribuir com que cada vez mais a importância das medidas de segurança seja reforçada sem que exista o desgaste.

Além desses aspectos, é preciso citar que as condições da infraestrutura também são consideradas e dependendo do tipo de local, serviços como de projeto de SPDA (Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas), também chamado de para raios e a

manutenção preventiva predial que conta com medidas abrangentes, podem ser necessários.

Os cuidados com a documentação necessária

Conforme reportado, parte da conscientização tem ampla importância, porém, há alguns documentos que são essenciais para atender as normas legislativas. Por exemplo, ao se tratar de leis trabalhistas, a apresentação do atestado médico admissional é significativa no processo de contratação de um profissional com a carteira assinada.

É um item imprescindível para analisar as condições de saúde psíquica e física do colaborador que ocupará determinada função. O comum, é que ocorra uma entrevista e exames, sendo as perguntas a respeito de enfermidades anteriores e existentes, empregos antecedentes e os exames referentes aos batimentos cardíacos, pressão arterial e outras possibilidades, caso seja necessário.

Outro exemplo de documento exigido em diversos casos é o laudo avcb (Auto de Vistoria de Corpo de Bombeiros), que atesta que o local apresenta as condições necessárias contra incêndio, ou seja, medidas técnicas, estruturais e organizacionais. Esse laudo só não é obrigatório para residências unifamiliares. Há um prazo de validade, que varia de 2 a 5 anos, conforme o risco avaliado pelo Corpo de Bombeiros.

Nesse âmbito, é importante abordar que há treinamentos específicos contra incêndio. Sendo assim, a empresa deve investir não apenas nos equipamentos adequados para prevenção e controle inicial dessas ocorrências, como também em opções como a CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes), que é regulamentada pela Norma Regulamentadora nº5 e visa assegurar condições saudáveis e seguras para os funcionários da empresa, com medidas preventivas e preparo adequado para lidar com diversas situações.

Sendo assim, pode-se observar que a conscientização é de grande significado para a empresa como um todo e a política de segurança deve atender os riscos de cada área e ser bem clara para garantir condições adequadas de atuação e o devido atendimento das leis e normas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Comentários