Blog da

millennials no mercado de trabalho

Millennials no mercado de trabalho: como receber estes novos talentos?

A convivência entre gerações é uma realidade constante nas empresas, afinal, pessoas de diferentes idades formam equipes que se renovam ao longo do tempo. Atualmente, presenciamos o crescimento dos millennials no mercado de trabalho, uma geração resultante da transformação mais atual do modo de pensar e agir da sociedade.

Lidar com pessoas diferentes e encontrar sinergia é um desafio presente na vida de cada um. Diante de uma sociedade composta por distintas gerações, é comum nos depararmos com profissionais com características únicas, com as quais não estamos acostumados. Contudo, profissionalmente falando, é necessário receber todos os membros de uma equipe da mesma maneira.

Por esse motivo, convidamos você a continuar a leitura deste artigo e saber como receber os millennials no mercado de trabalho!

Quem são os millennials?

Filhos de uma geração que nasceu no pós-guerra, os millennials conviveram com pais e avós que direcionavam todos os seus esforços para a construção de um patrimônio. Nascidos entre 1946 e 1964, os chamados baby boomers chegaram em um momento no qual a humanidade presenciava o aumento da taxa de natalidade.

Essa foi uma geração que cresceu na frente da televisão e participou da revolução causada pelo rock. Foi dessa maneira que eles se tornaram revolucionários, disciplinadores, independentes e aptos a trabalhar sob pressão. Seus filhos, da geração X, nascidos entre 1960 e 1980, chegaram com um desejo maior de liberdade — mas mantiveram o foco na construção de patrimônio.

A partir de 1980, chegaram os membros da geração Yos millennials —, que receberam dos pais uma estrutura de vida melhor, com mais conforto. Paralelamente, eles presenciaram o surgimento e a expansão de tecnologias como a internet, que facilitou a comunicação entre as pessoas e a obtenção de notícias mais atualizadas.

Viver em meio a tanta tecnologia deixou os millennials conectados, procurando informações de maneira fácil e imediata, preferindo por computadores e outros equipamentos eletrônicos a livros. Essa geração abandonou as cartas e está presente em todas as redes sociais, compartilhando conteúdo e buscando sempre novas tecnologias.

Quais são as características deles?

Os millennials não são uma massa homogênea, composta por indivíduos padronizados. Eles têm características em comum, mas precisam ser tratados de forma individualizada — e você vai entender o porquê. Essa é uma geração que valoriza a experiência customizada e autêntica, por mais que seu desejo seja o de pertencer a um grupo.

Antigamente, era comum que você e seus pais tivessem à disposição poucas opções de produtos e serviços. Hoje a realidade é diferente, e cada indivíduo pode encontrar uma solução personalizada ou que se adapte melhor às próprias necessidades. Além disso, conta outro fator: a velocidade. Eles conseguem tudo isso rapidamente com a ajuda da internet.

É pela internet que um atendimento pode começar, seja por um chat ou e-mail. Esse diálogo pode migrar para uma central telefônica ou conversa presencial, pois para os millennials, os ambientes reais e virtuais são um só — e eles esperam essa postura omnichannel das pessoas e empresas. Por isso, os membros da geração baby boomers têm divergências com os millennials.

O que parece ser falta de foco é, na verdade, uma capacidade maior de executar múltiplos trabalhos. Já a praticidade oferecida pela tecnologia ajuda a economizar tempo em tarefas que demandam mais atenção, e por esse motivo, resolver tudo por e-mail ou mensagens de texto no smartphone são soluções adotadas com frequência por essa geração.

O que os millennials procuram no mercado de trabalho?

Esse contexto fez com os millennials crescessem em um mundo diferente do vivido por seus pais e avós. Desde a infância, eles foram incentivados a estar à frente das coisas, sendo pessoas mais empoderadas. Por isso, apesar da pouca experiência por causa da idade, eles conseguem resultados tão ou mais expressivos do que os veteranos.

Os millennials desejam acertar, e para isso recorrem às críticas, aos elogios e aos feedbacks que recebem. O que às vezes soa como insegurança, transparece a vontade de conquistar bons resultados por meio da orientação de quem tem mais experiência. Quando não encontram líderes que têm essa conduta, eles se desmotivam e buscam outras oportunidades profissionais.

Millennials estão dispostos a alcançar os melhores resultados, mas sentem a necessidade de se identificar com os valores da empresa para a qual trabalham. Sem essa identificação, acabam não acreditando nos propósitos dela e preferem seguir outro caminho. Por esse motivo, um plano de carreira pode não significar muita coisa para um millennial.

Essa geração é imediatista: os millennials estão sempre dispostos a encarar o próximo desafio. Colocá-los para exercer um trabalho repetitivo e sem muita expectativa de crescimento é algo que entra em conflito com as expectativas dessas pessoas. Como são muito antenados, eles reconhecem boas oportunidades dentro e fora da organização.

Como as empresas devem se preparar para recebê-los?

Com a chegada dos millennials no mercado de trabalho, as empresas necessitam encontrar o ponto certo para manter esses talentos em seus quadros — e a ordem da vez é se adaptar. Diferentemente de outras gerações, que entravam nas empresas dispostas a criar uma carreira duradoura de décadas, os millennials não enxergam valor nisso.

Sendo assim, se não estiverem gostando do trabalho, eles vão buscar outras oportunidades fora daquele espaço. Quando um millennial percebe que deixou de crescer e se desenvolver, ele opta por mudar. Essa “falta de fidelidade” com as empresas surgiu da experiência de vida deles, na qual muitos viram seus pais perderem os empregos.

Por isso, a empresa que deseja receber bem os millennials precisa oferecer uma oportunidade que tenha um significado, tornando-os capazes de aprender, crescer e evoluir nas suas respectivas carreiras. Nesse processo, a horizontalização da comunicação é mais comum do que se imagina.

A burocracia imposta pela hierarquia e que dificulta o acesso aos gestores e líderes da empresa não faz sentido para alguém que convive socialmente com diferentes pessoas por meio de redes sociais. Isso exige das empresas uma mudança de comportamento, na qual os gestores saibam se comunicar melhor e com todos — sem exceção.

O fato é que a chegada dos millennials no mercado de trabalho trouxe a necessidade de renovação. Mesmo os profissionais mais antigos precisam passar por uma reciclagem no modo como agem com seus colegas de trabalho. Daqui a algum tempo, outra geração diferente vai chegar e, como de praxe, mais uma vez precisaremos de uma adaptação.

Gostou de saber um pouco mais sobre como receber os millennials no mercado de trabalho? Então compartilhe este post nas redes sociais para que outras pessoas fiquem por dentro do assunto!

Comentários