Blog da

vale-alimentação

Vale-alimentação: tudo que você precisa saber sobre

Benefícios como o vale-alimentação têm papel fundamental na boa relação entre empresa e colaborador, trazendo vantagens para ambas as partes. Contudo, antes de implementá-lo na sua organização, é preciso tomar alguns cuidados e ficar atento aos detalhes legais para fazer tudo corretamente.

Sua empresa planeja oferecer o cartão de alimentação para os seus colaboradores? Veja agora tudo que você precisa saber sobre o vale-alimentação e tire as suas dúvidas!

O que é o vale-alimentação?

O vale-alimentação é um benefício oferecido pela empresa para que o trabalhador possa comprar produtos alimentícios. É possível dizer que esse recurso é uma evolução da cesta básica, que antigamente era oferecida para os colaboradores. No entanto, o vale-alimentação é mais interessante, visto que a pessoa pode escolher os produtos que serão comprados de acordo com o que é mais usado em casa.

Esse benefício pode ser utilizado em supermercados, padarias, sacolões, mercearias, açougues e outros estabelecimentos que vendem esse gênero. Na prática, isso quer dizer que os trabalhadores podem realizar a compra do mês, o que beneficia a ele e a sua família. Afinal, esse valor é acrescido ao salário do trabalhador, e não descontado. Ou seja, assim é possível economizar ou até comprar alimentos de melhor qualidade e variedade para a residência.

Qual é a diferença para o vale-refeição?

Algumas empresas optam por conceder aos seus trabalhadores determinado valor por dia útil para realizar refeições. Sendo assim, ele é utilizado para quitar lanches, almoços e jantares em estabelecimentos como restaurantes, lanchonetes, padarias e outros locais conveniados ao cartão do vale-refeição.

No entanto, normalmente esse benefício não é aceito em supermercados, hipermercados e outros estabelecimentos semelhantes. Ou seja, seu uso é feito geralmente durante a jornada de trabalho e em locais que vendem alimentos prontos.

Para a empresa, oferecer o vale-refeição pode ser mais interessante que montar um refeitório em sua sede, visto que há custos com  espaço, colaboradores para o preparo das refeições e outros. Além disso, o colaborador tem autonomia para decidir onde quer almoçar e qual o valor deseja gastar com as refeições.

O que diz a legislação sobre o vale-alimentação?

A empresa não é obrigada por lei a pagar o vale-alimentação (ou o vale-refeição) aos seus colaboradores — ao contrário do que acontece, por exemplo, com o vale-transporte. Acordos individuais ou coletivos com empresas podem garantir o benefício do vale-alimentação em alguns casos, mas na CLT essa obrigação não existe.

Segundo o artigo 457 da CLT, se o empregador estiver de acordo com as regras do Programa de Alimentação do Trabalhador (PAT), o vale-alimentação não é considerado como parte do salário. Sendo assim, esse benefício pode ser suspenso ou retirado a qualquer momento. É importante salientar que a Norma Regulamentadora 24 também trata desse assunto, visto que empresas com mais de 300 trabalhadores precisam ter um refeitório em suas instalações. No entanto, apesar dessa determinação legal, não há exigência em relação a alimentação em si.

Devido a essa característica, o vale-refeição é considerado como uma gratificação para o colaborador e, assim, não pode-se incidir contribuição previdenciária e FGTS (fundo de garantia por tempo de serviço), assim como não pode ser considerado como rendimento tributável do colaborador.

É direito do empregador descontar 20% do salário de seu colaborador para arcar com os custos do vale-alimentação. No entanto, se o gestor quer mostrar aos seus trabalhadores a importância deles para a sua empresa, mas não tem os recursos para oferecer um aumento de salário, o vale-alimentação como benefício, ou seja, sem desconto salarial, pode ser uma opção vantajosa para promover a satisfação e a qualidade de vida da sua equipe.

Quais são as vantagens para a empresa?

Optar pelo vale-alimentação traz várias vantagens práticas para a sua empresa. Tais benefícios podem ser observados rapidamente logo após sua adoção!

Atração de talentos

Oferecer benefícios para os colaboradores, como vale-alimentação e plano de saúde, por exemplo, é uma ótima forma de atrair e reter novos talentos para a empresa. Afinal, em tempos de crise, ganhar uma ajuda de custo para realizar as compras mensais é muito atrativo. Isso é interessante para a empresa pois a rotatividade diminui, sendo possível poupar em processos seletivos.

Além disso, oferecer o vale-alimentação torna a empresa competitiva no mercado, visto que, provavelmente, muitos de seus concorrentes também oferecem benefícios semelhantes. Outra vantagem é a imagem positiva criada sobre a empresa, uma vez que é possível observar a sua preocupação em deixar o colaborador e sua família saudáveis e bem alimentados.

Motivação dos colaboradores

Os colaboradores que têm acesso ao cartão de vale-alimentação têm mais liberdade para escolher onde fazer suas compras e adquirirem os produtos da sua preferência — o que é visto como um benefício muito maior do que a cesta básica, por exemplo. Hoje já existem diversos estabelecimentos que aceitam o cartão de alimentação, permitindo que o usuário tenha uma variedade de opções.

O vale-alimentação também ajuda a regular o pagamento desse benefício, transmitindo maior segurança e reduzindo o turnover da sua equipe. Manter a motivação dos colaboradores fica muito mais fácil com o suporte do cartão de alimentação, que é um dos mais valorizados pelos trabalhadores.

Redução de custos

O uso do vale-alimentação isenta a empresa do pagamento de encargos sociais, como INSS e FGTS sobre o valor pago. A adoção do benefício também proporciona abatimento na ordem de 4% no IRPJ a ser pago, além de evitar custos com a compra, o transporte, a distribuição e o armazenamento de cestas básicas.

Menos burocracia

Sistemas de vale-alimentação simplificam o processo de adesão e de pagamento por parte da empresa, o que também facilita a utilização do benefício por parte do empregado. Além de fornecerem ferramentas de gestão e acompanhamento dos cartões de benefíciosos sistemas ainda agilizam o planejamento financeiro da empresa por viabilizar a previsão de gastos a longo prazo!

Aumento da produtividade

É fato que colaboradores motivados produzem mais e dão melhores resultados para a empresa. Um benefício tão atraente como o vale-alimentação, que traz melhorias às suas vidas os incentiva a se esforçar sempre mais pelo bem da empresa em que são membros.

Além dos ganhos motivacionais e da atuação positiva no psicológico dos cooperadores da empresa, há aspectos positivos óbvios na parte física que influem no aumento da produtividade.

Uma boa alimentação, possibilitada pela utilização correta do vale-refeição faz com que o colaborador melhore sua saúde, ingira nutrientes essenciais para seu organismo e, como consequência, produza mais. Além disso, ele ficará menos doente e não faltará ao trabalho.

Estar na empresa deixará de ser uma obrigação diária e passa a ser uma oportunidade nova de se dedicar ao seu serviço e ajudar todos os setores a se desenvolverem.

Maior segurança

Uma das grandes preocupações dos empresários são os riscos de ter e repassar dinheiro em espécie na sede das empresas e fraudes na concessão de benefícios aos colaboradores.

Com o vale-alimentação o gestor se previne em relação a essas preocupações e garante que a utilização dos recursos fornecidos será utilizada por uma pessoa que integra os quadros empresariais. Os créditos, fornecidos por meio do cartão magnético, tem uso pessoal e intrasferível podendo ser utilizado só por quem sabe a senha correta.

Esse fator também traz vantagens ao colaborador, que tem seu recurso proveniente do vale-alimentação protegido em caso de perder o cartão. Basta bloquear e refazer o meio de utilização do crédito. Seu dinheiro estará protegido e inutilizado. Pessoas mal intencionadas não conseguirão utilizar fazer compras fraudulentas sem acesso ao código secreto.

Logística simplificada em comparação à cesta básica

O fornecimento de cestas básicas aos colaboradores demanda um processo de logística bastante complexo e dificultoso. Há a necessidade de adquirir os alimentos, fazer uma pesquisa de preços, conhecer a qualidade de diversos itens etc.

Todas essas medidas aliam-se ainda ao processo de armazenamento dos produtos e posterior entrega aos cooperadores da empresa. O dispêndio de tempo e esforço para que todo esse procedimento seja realizado acaba até por comprometer a produtividade e outras tarefas dos responsáveis, em regra o setor de RH. Além de sujeitar a empresa a atrasos na entrega dos alimentos.

O vale-alimentação, por sua vez evita todo esse trabalhoso ritual e torna esse benefício ao colaborador mais simples e prático. Será creditado o valor da vantagem ao colaborador, que terá acesso por meio do cartão eletrônico, e ele mesmo poderá adquirir o que precisa segundo suas necessidades.

Desse modo, há praticidade para colaboradores e gestores, pois os créditos são transferidos de forma eletrônica. Não há risco de atraso e o favorecido pode fazer compromissos com os valores. O resultado é tranquilidade na logística da empresa e motivação de quem recebe os recursos para se alimentar com qualidade.

Quais as vantagens do vale-alimentação para o colaborador?

Alimentação melhor

É do conhecimento de todos que quanto melhor a alimentação de uma pessoa, mais ela produz durante o dia e mais qualidade de vida ela tem.

Uma empresa que investe na alimentação de seus colaboradores por meio de vale-alimentação está contribuindo para que os trabalhadores da sua empresa vivam melhor e tenham no seu organismo os nutrientes fundamentais para uma vida sadia.

O beneficiário do crédito poderá adquirir os alimentos que tem necessidade sem outras preocupações. Isso aumentará sua produtividade na empresa e sua vida de uma forma geral.

Acompanhamento do saldo via aplicativo

Mais uma vantagem de fornecer o vale-alimentação ao colaborador é que ele poderá consultar o saldo do benefício por meio de aplicativo instalado no seu telefone celular. Assim o controle é mais fácil e pode haver uma programação do que ainda pode ser gasto no mês.

Tudo isso contribui para a praticidade do benefício e uma utilização de maneira mais consciente pelo cooperador, trazendo benefícios a todas as partes envolvidas nesse processo.

Comodidade e liberdade

Já citamos que a logística para o fornecimento do vale-alimentação ao invés da cesta básica é benéfica para a empresa, pois evita alguns desgastes. Esse procedimento é vantajoso também para os colaboradores que compõem o quadro empresarial.

É bem mais cômodo saber que em determinado dia do mês será creditado o valor para ser empregado em alimentação. Isso facilita o planejamento e tranquiliza o beneficiário e sua família.

Outro ponto de destaque é a liberdade. O cooperador da empresa está livre para gastar o valor do vale como preferir, em produtos de sua escolha. Ele não fica “engessado” aos produtos que vem na cesta básica.

Como implementar o vale-alimentação na empresa?

Faça a adesão ao PAT

O PAT, ou Programa de Alimentação do Trabalhador, foi criado em 1976 para promover e assegurar a nutrição dos brasileiros. No entanto, esse programa é facultativo, ou seja, a empresa e os próprios colaboradores podem escolher aderi-lo ou não.

No entanto, para os gestores, aderir ao programa é interessante, visto que quem participa dele pode solicitar redução no imposto de renda equivalente ao do benefício. Nesse caso, qualquer trabalhador que ganhe até 5 salários-mínimos pode ser contemplado pelo PAT.

Defina um valor mensal para a alimentação

Definir um valor mensal que seja útil para o colaborador pode ser um desafio para muitos gestores. Para acertar na escolha é preciso fazer uma pesquisa de mercado, visando o gasto com supermercados e outros estabelecimentos do gênero ao longo do mês.

Além disso, também é importante verificar os custos de alimentação na cidade em que o trabalhador fará as compras, visto que entre as regiões (capital e interior, por exemplo) os valores podem variar grandemente.

Calcule o valor do desconto

Primeiramente devemos nos atentar que a lei não estipula um valor mínimo a ser descontado pelo vale-alimentação. Há apenas a delimitação quanto ao máximo a ser descontado na remuneração do beneficiário que é de vinte por cento do salário.

Devemos destacar também que, ao contrário do vale transporte, o vale- alimentação não é uma obrigação legal do empresário, salvo se houver alguma convenção coletiva de trabalhadores que indique o contrário.

No cálculo devem ser considerados: o ganho diário do colaborador com alimentação multiplicado pelos dias trabalhados por ele no mês. Do produto dessa multiplicação encontramos o valor total a ser creditado. O valor do desconto, por sua vez, será de, no máximo, vinte por cento do valor encontrado e pode ser abatido no salário.

Lembrando que o valor creditado como vale-alimentação independe do salário que o cooperador recebe, sendo estipulado livremente por dia. O desconto também não é fixo. Então, se a empresa desconta pouco e fornece um bom vale ao seu colaborador ele percebe um aumento salarial considerável.

Então, calcule um valor do desconto que seja benéfico aos colaboradores e que não onere excessivamente a empresa. Essa medida será benéfica para ambos os lados, pois garante comodidade e satisfação dos beneficiários e maior produtividade na empresa.

Terceirize a gestão do benefício

A gestão de benefícios demanda imenso cuidado, pois é necessário realizar a gestão de pessoas e o depósito dos valores no cartão mensalmente, dentre várias outras funções. Assim, a fim de não sobrecarregar os colaboradores do RH, financeiro e administrativo, a dica é contratar uma empresa especializada e de qualidade para realizar o serviço.

Atualmente, existem empresas que atuam no ramo de benefícios e podem realizar a gestão de vale-alimentação, vale-refeição e outros. Nesse caso, adotar o vale-alimentação é bem simples e depende apenas de alguma negociação sobre os valores e termos dos benefícios em cada caso. A gestora oferece todo o suporte para a transição dos cartões de alimentação para os colaboradores, aliviando a empresa da carga burocrática relacionada a esse benefício.

A fim de escolher a melhor opção para os trabalhadores, é preciso considerar qual é a rede de atendimento do cartão-alimentação. Afinal, é preciso que os estabelecimentos sejam numerosos e estejam espalhados por toda a área de atuação do colaborador. Além disso, é preciso que os supermercados, as padarias e os açougues tenham preços que caibam no orçamento calculado pela empresa.

Por fim, a escolha da operadora que oferecerá o vale-alimentação também deve ser pautada na realidade da empresa. Isso porque, apesar de ser um ótimo benefício para os colaboradores, o vale-alimentação não pode sobrecarregar o orçamento e prejudicar a companhia.

Monte uma política de benefícios

Como visto, oferecer o vale-alimentação é uma ótima vantagem para a empresa e também para os colaboradores. O interessante é que existem vários outros benefícios que podem ser implementados, como vale-refeição, plano de saúde, incentivo à cultura, premiações e outros.

Lembre-se de que o mercado atual vive uma situação em que há uma oferta menor de trabalhadores qualificados. Sendo assim, é imprescindível que a empresa consiga captar e reter os talentos em seu quadro de colaboradores. Apesar de terem um custo a longo prazo, os benefícios são capazes de melhorar a qualidade de vida do colaborador, assim como de sua família.

Portanto, percebemos que a empresa que valoriza a permanência e o bem-estar de seus trabalhadores conseguirá mantê-los produtivos, fidelizados e motivados. O vale-alimentação surge como um diferencial nesse processo. Como os colaboradores poderão se alimentar bem e com liberdade de escolha, essa medida provoca entusiasmo em produzir mais pela empresa que fornece esse incentivo!

E então, entendeu a importância da adoção do vale-alimentação para sua empresa e para os colaboradores? Se este post foi útil para você, compartilhe conosco e com outros leitores as suas experiências relacionadas à concessão de benefícios deixando um comentário abaixo!

Comentários