Blog da

gestão de benefícios

Entenda a importância da gestão de benefícios para as empresas

A gestão de benefícios é um grupo de medidas de uma empresa para disponibilizar aos colaboradores incentivos por fora do salário. Trata-se de uma estratégia muito interessante para o negócio, uma vez que essas vantagens não estão sujeitas a encargos, ao contrário das remunerações oficiais.

Em tempos de recessão econômica, muitos empresários não têm condições de reajustar os vencimentos do time. Nesse cenário, o gerenciamento dos estímulos extras é uma maneira mais acessível de promover a motivação. Desse modo, mesmo sem uma grande quantia no caixa, o empreendedor não perde a sua competitividade em função de uma equipe insatisfeita.

Em quase todos os segmentos, a disputa por clientes está cada vez mais acirrada. Em um contexto com tal característica, é importante lembrar que o capital humano faz toda a diferença na posição de mercado. Quer saber mais? Então, confira neste post a importância da gestão de benefícios!

Veja como a administração dos estímulos aprimora o engajamento

Com um controle tático sobre a política de bônus, premiações e similares, o empreendimento consegue proporcionar mais gratificações com menos recursos financeiros. Desse modo, é viável abranger um maior número de pessoas, o que aumentará a sensação de que a empresa se importa com o time.

Quando isso acontece, as pessoas se sentem como parte da companhia, da loja ou do escritório. Sabe aquele pensamento: “somos uma família!”? É mais ou menos assim. Em consequência, os profissionais estabelecem laços fortes com os interesses corporativos.

Assim, eles se esforçarão mais para alcançar as metas e os resultados. Em outras palavras, a gestão de benefícios propicia um maior comprometimento da equipe com as causas do negócio.

Descubra como esse investimento eleva a produtividade

Independentemente do tipo de benefício, essas vantagens provocam um efeito imediato de satisfação. Dessa maneira, as pessoas ficam mais tolerantes, alegres e dispostas. Tal condição de humor influencia em todo o clima organizacional.

Por isso, as empresas que investem nesse mecanismo costumam obter ganhos significativos de produtividade. Embora esse gerenciamento seja um projeto de médio e longo prazo, os impactos positivos são sentidos quase que de forma instantânea.

Saiba como reter os talentos

Outra impressionante utilidade da gestão de benefícios é reduzir as demissões e preservar os principais talentos. Na área de vendas, perder um profissional habilidoso e com conhecimento técnico pode trazer imensos prejuízos, por exemplo.

Se esse vendedor for para a concorrência, os danos serão ainda mais graves. Além disso, quando um bom colaborador abandona a equipe, é preciso substituí-lo, o que exigirá tempo para fazer os processos seletivos e treinar o novo contratado.

Assim, itens menos custosos do que o aumento salarial podem ser o fiel da balança na hora de um bom profissional decidir permanecer na empresa. São prêmios e regalias como alguma ajuda para custear o combustível, um auxílio para pagar a escola ou até mesmo a cobertura das despesas em cursos de aperfeiçoamento.

Se você coordenar melhor a destinação dessas benesses, poderá oferecerá cada vez mais melhorias para o seu pessoal, o que garantirá um quadro de recursos humanos de ponta.

Aprenda a implementar a gestão de benefícios

Conseguir mão de obra de qualidade sempre foi um grande desafio no mercado, não é mesmo? Nessas circunstâncias, a gestão de benefícios promove a satisfação dos contratados de um jeito economicamente favorável à organização.

Afinal, o objetivo de qualquer negócio é gerar lucro, não fazer assistência social. Ou seja, é indispensável estimular as pessoas, mas se isso significar prejuízos, a estratégia não se sustentará. 

É justamente nessa lacuna que o gerenciamento profissional das regalias entra. Você precisa de gente motivada e contente, mas isso tem um preço, que tem de caber em seu orçamento anual.

Muitas empresas preferem terceirizar essa supervisão técnica, uma vez que os serviços costumam incluir o fornecimento de estrutura tecnológica. Seja qual for a sua decisão, veja a seguir os principais passos para consolidar a gestão de benefícios.

Pesquise sobre o perfil do time

A fim de evitar desperdícios, faça um levantamento para descobrir quais são os desejos predominantes.

Tem gente que almeja crescimento na carreira. Para essas pessoas, um curso de idiomas ou uma especialização serão excelentes prêmios.

Outros podem priorizar programas que beneficiem a família, como ajuda para cobrir os gastos com a escola ou um plus no plano de saúde.

Desse modo, você consegue garantir que as vantagens realmente tenham poder para persuadir e fazer diferença.

Calcule o retorno do investimento de forma contínua

Aumentar o leque de vantagens, assim como qualquer outra atividade em um empreendimento, requer a verificação dos resultados. Se um programa não tiver uma adesão suficiente, não faz o menor sentido continuar com ele.

As pessoas e os seus interesses mudam. Então, é necessário ficar atento a essas nuances. Por isso, a empresa precisa, de tempos em tempos, avaliar os efeitos de seus programas de incentivo. Dessa forma, é possível ampliar o investimento nas iniciativas de sucesso, bem como reduzir ou até cortar as ações impopulares.

Lembre-se de que, muitas vezes, os resultados serão abstratos. Por esse motivo, será preciso um mecanismo de controle que armazene e cruze as informações. Desse jeito, os dados dispersos são processados até que virem conteúdo rico para dar suporte às suas decisões.

Por exemplo: imagine que você ofereceu um curso de educação financeira. Depois de um certo tempo, é preciso voltar ao grupo que participou desse aprendizado e questioná-lo sobre as melhorias. Os alunos realmente diminuíram suas dívidas? Quem tinha problema de insônia por causa de débitos voltou a dormir bem? Isso influenciou na forma de trabalho? De que modo?

Muitos gestores não têm tempo para fazer análises minuciosas assim. Por isso, é importante contar com a ajuda da tecnologia. Softwares especializados são uma mão na roda para a administração de informes.

Eles também são ótimos para dar suporte aos cálculos, como fazer a contagem automática dos porcentuais a serem descontados de cada profissional no fim do mês. Com isso, evita-se os erros e ganha-se mais velocidade nessas operações matemáticas.

Concilie o interesse dos trabalhadores com os da empresa

Como já dissemos, é importante ouvir o grupo ao estabelecer seu programa de bonificação. Acontece, porém, que a empresa não deve esquecer de considerar as suas próprias intenções ao implementar esses projetos. Desse modo, mescle premiações que possam reverter em proveitos mais concretos para as atividades do dia a dia.

Por exemplo: inclua no pacote de estímulos cursos de idiomas, bolsas de estudo e palestras. Assim, você equilibra a vontade do time com os propósitos corporativos.

Veja exemplos de melhorias que agradam a todos:

  • prêmios para quem atinge determinadas metas;
  • bônus para a melhor performance;
  • bolsa de estudos para pós-graduação;
  • cursos de aperfeiçoamento;
  • workshops.

Como você já deve ter percebido, a gestão de benefícios traz inúmeras vantagens ao andamento dos negócios. É imprescindível, no entanto, que sejam estabelecidas regras sérias para o sistema. Assim, é mais simples garantir que os colaboradores façam o uso correto das bonificações.

Quer mais dicas de administração? Então, leia também nosso post sobre os erros mais comuns na folha de pagamento!