fbpx

Blog da

RH estratégico

Entenda como tornar o RH estratégico em um momento de crise

O RH estratégico tem ganhado cada vez mais espaço dentro das companhias de todo o mundo, principalmente em momentos como os que estamos vivendo na atualidade, com a crise desencadeada pela Covid-19.

Neste momento, os gestores de Recursos Humanos se deparam com a necessidade de contribuir para a manutenção das atividades da empresa e, para isso, além da missão de engajar os funcionários, mantendo um ambiente de trabalho saudável, também é necessário pensar em soluções para diminuir os impactos econômicos nas companhias.

Quer saber como tornar o RH estratégico em um momento de crise? Então, continue a leitura!

Qual o papel do RH dentro de uma empresa?

O RH passa a ser cada vez mais estratégico dentro das organizações. Isso porque passa a atuar na gestão do clima organizacional e no alinhamento dos objetivos da empresa — com a contratação de profissionais mais alinhados ao fit cultural da companhia —, ajuda na tomada de decisões e contribui com ações de engajamento e motivação da equipe.

Com o advento da pandemia causada pelo novo coronavírus, o setor passa a atuar no “novo normal”, termo cunhado por Mohamed El-Erian, empresário americano, conselheiro econômico dos maiores staffs da Allianz, para elucidar que a atual crise não é como as que vivemos nas últimas décadas.

Ela interfere no cotidiano das pessoas e de nações em todas as esferas: ambiental, econômica, social e emocional. Ou seja, abala todas as áreas da vida do ser humano.

Diante desse cenário, o papel do RH dentro das empresas passa a ser, mais do que nunca, o de gerenciador das demandas de pessoas e organização, contribuindo para o ajuste de processos, como a implantação do home office, além de dispor de ações que contribuam para o bem-estar e para a segurança das equipes.

Por que o RH é considerado um dos maiores custos do negócio?

Não podemos negar que a folha de pagamento e os benefícios concedidos aos colaboradores, bem como investimentos em treinamento e desenvolvimento, representam um custo significativo para as organizações.

Em cenários, como o que estamos vivendo na atualidade, com funcionários subutilizados devido às restrições impostas pelo governo e orientadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a gestão do capital humano também se torna algo oneroso.

Isso sem falar nos custos com desligamentos e outros custos recorrentes, como o pagamento de impostos. Mas, como empresas são feitas por pessoas, e são elas as responsáveis por levar às companhias os resultados esperados, esses custos devem, cada vez mais, ser encarados como investimentos.

Quais os benefícios de ter um RH proativo em um momento de crise?

Quando a empresa conta com um RH proativo, ou seja, que antevê demandas, ela minimiza as chances do impacto em pessoas, ao mesmo tempo em que colabora para a manutenção de ambientes de trabalho mais engajados com os objetivos organizacionais.

No entanto, os benefícios não param por aí! As pessoas que fazem parte da organização se sentem cuidadas, e isso reflete em uma maior produtividade e na qualidade das entregas de produtos e serviços.

Como o RH pode ajudar a empresa em momentos de crise?

Em momentos como os que estamos vivendo, em que os impactos econômicos não podem ser negligenciados, é fundamental que a gestão de RH possa colaborar com ações e iniciativas que contribuam para a sustentabilidade da empresa no mercado.

Veja, a seguir, algumas medidas que podem ser tomadas pela gestão de RH!

Powered by Rock Convert

Otimização dos processos

O uso da tecnologia para diminuir distâncias já vinha sendo utilizado pelo RH em várias rotinas do setor: da informatização da folha de pagamento até softwares de recrutamento e seleção.

Com o isolamento social e a necessidade de se manter conectado para garantir a operação do negócio, a otimização dos processos usando softwares e outras ferramentas torna-se cada vez mais necessária.

Logo, é dever do gestor de RH propor soluções por meio dessas facilidades, conectando pessoas e processos, para que a operação continue funcionando, o que minimiza os impactos financeiros da empresa, principalmente em termos de produtividade.

Revisão da jornada de trabalho

Aproveitar a mão de obra durante o horário de trabalho é uma das questões fundamentais para uma boa estratégia de redução de custos no RH. Para isso, é necessário revisar os processos, distribuir melhor as tarefas, colocando as pessoas certas nos cargos certos, e até atuando na distribuição de responsabilidades de forma mais eficiente.

Assim, ao fazer a otimização da jornada de trabalho, o RH contribui para uma economia eficiente com horas extras, já que os funcionários terão à sua disposição ferramentas para melhorar a sua produtividade, aproveitando melhor o tempo de trabalho.

Além disso, com a otimização da jornada de trabalho, outros gastos com infraestrutura, como o pagamento de energia elétrica, água, telefone e recursos tecnológicos, também são reduzidos.

Adoção de um banco de horas

Ao adotar um banco de horas, você reduz custos com pagamentos de horas extras. A adoção desse processo está totalmente integrada com a legislação vigente, mas você precisa verificar se essa prática está contemplada no acordo coletivo da sua categoria. Para isso, consulte o sindicato local da categoria da sua empresa.

Além de ajudar a reduzir os custos na empresa, outra vantagem da adoção do banco de horas é que ele ainda incentiva os funcionários a não exercerem as suas funções além da jornada regular.

Boa gestão de benefícios

Retirar benefícios dos colaboradores, ainda mais em tempos de crise, nunca é uma boa ideia, já que isso pode impactar negativamente a imagem da marca empregadora da empresa. No entanto, otimizar e fazer a revisão da política referente à gestão dos benefícios é uma estratégia que pode ser utilizada para reduzir custos.

Uma boa forma de fazer uma gestão de benefícios eficiente é atrelando-os à produtividade. Profissionais que apresentem os melhores desempenhos, por exemplo, podem ser beneficiados com bônus e participações nos lucros. Com isso, a gestão de RH incentiva a busca por produtividade e a meritocracia, ao mesmo tempo em que evita gastos que não são necessários.

Negociação de descontos com fornecedores

Em momentos de crise, vale contar com o bom relacionamento com fornecedores de serviços essenciais para manter a qualidade da gestão de RH, com recursos importantes para um eficiente gerenciamento do setor.

Negocie prazos e valores e peça descontos. A crise é para todos, e, provavelmente, seu fornecedor estará disponível para ajustar as propostas, a fim de manter a sua empresa como cliente.

Assim, tornar o RH mais estratégico em um momento de crise é possível com ações que têm como objetivo a redução de custos, ao mesmo tempo em que mantêm a valorização das pessoas e a marca empregadora da empresa.

Se você gostou deste post sobre como tornar o RH estratégico em um momento de crise, confira também como eliminar os custos da cesta básica!

Comentários